Praia do Cassino – Maior Praia do Mundo

Na praia do Cassino em Rio Grande, os veranistas podem estacionar os carros na beira da orla. Conheça o Cassino, a maior praia do mundo em extensão.

A praia do Cassino, no município de Rio Grande, no Rio Grande do sul, segundo o Guiness Book é considerada a maior praia do mundo em extensão, sendo que sua orla inicia no balneário Cassino e vai até o município de Chuí, na fronteira com o Uruguay.

Balneário Cassino -Rio Grande-RS

Praia do Cassino – Rio Grande/RS /Brasil

Na maior praia do mundo os veículos podem estacionar junto ao mar e percorrer toda a sua extensão, e os banhistas podem desfrutar de inúmeras atrações que proporcionam lazer e entretenimento, como: caminhadas junto à orla marítima, observação de aves migratórias e animais marinhos, visitação da passarela ecológica junto às dunas preservadas, e ainda fotografar um navio encalhado na praia.

Veja o vídeo abaixo:

Praia do Cassino – Rio Grande/RS /Brasil

O maior atrativo da Praia do Cassino são os Molhes da Barra, considerados uma das maiores obras de Engenharia do século XX .

Os molhes foram construídos especialmente com a função de manter constante a profundidade do canal para a navegação, além de servir também como quebra-mar.

Molhes da Barra- Praia do Cassino – RS

Nessa grandiosa obra, projetada no século XIX, o visitante pode realizar um emocionante passeio de vagonetas, (veículos levados pelo vento  que deslizam sobre trilhos) adentrando 4 km o Oceano Atlântico.

Molhes da Barra- Balneário Cassino – RS

No ponto extremo da praia, foi construído os Molhes com toneladas de pedras que invadem o mar aberto. Sua formação  junto com o Molhe Leste, do outro lado do canal de navegação, protege a entrada e saída de navios para o Rio Grande.

Molhes da Barra- Praia do Cassino – RS

A viagem de vagoneta leva cerca de 20 minutos e percorre uma extensão de 4 quilômetros (com sua reforma de 2009 agora terá 4,3 quilômetros) e durante o trajeto pode-se ainda ter a sorte de ver golfinhos e mergulhões.

Veja o vídeo do passeio de vagoneta nos Molhes da Barra :

Navio encalhado – Praia do Cassino

Dezesseis quilômetros do centro do Cassino em direção ao Chuí, encontra-se encalhado,na beira da praia, o navio Altair .

O navio Altair encalhou em junho de 1976, após enfrentar uma forte tempestade.

Cerca de 2 km passando o navio encalhado, existem ruínas de um imenso Cassino que, devido à perseguição a italianos e alemães durante a Segunda Guerra Mundial e a proibição do jogo de roleta em 1946, causaram danos à economia local e o abandono da construção.

Navio Encalhado

Navio Encalhado

Navio afundado na Praia do Cassino – Rio Grande- Rs

A infinidade de hospedagens no balneário favorece a estadia na temporada veranista. Há excelentes ofertas de apartamentos, casas e kitnet para locação em uma grande rede de imobiliárias que atendem na praia, e também muitos imóveis para locação direto com o proprietário a preços mais acessíveis.

Balneário Cassino – Rio Grande – RS

Na orla marítima também há inúmeras ofertas de produtos para alimentação nas barracas de  vendedores ambulantes, porém o point do balneário é o canteiro central da principal Avenida à noite, onde se concentra uma infinidade de bares e restaurantes com  imensa variedade de alimentação e petiscos com frutos do mar, e também é possível assistir a vários espetáculos populares que acontecem à noite na Avenida Rio Grande.

Avenida Rio Grande- Balneário Cassino

Avenida Rio Grande- Balneário Cassino

Outras opções de passeio próximas à praia do Cassino:

Passeio de Catamarã até São José do Norte

Do Balneário Cassino até o porto de Rio Grande são apenas 18 km,  dali é possível ir de catamarã até o município de São José do Norte. A travessia leva apena 10 minutos.

Se preferir ir de carro pela balsa, aproveita melhor o passeio em São José do Norte; uma cidadezinha antiga que não tem muitos atrativos, mas que abriga a praia do Mar Grosso, com muita tranquilidade e alguns locais para degustar petiscos mariscos de ótima qualidade.

Veja mais fotos na nossa galeria de imagens:

2 Comentários

  1. luiz fernando malacarne marques 30/10/2017
    • Jucelaine 08/11/2017

Dê sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *